Perguntas frequentes

Descomplicar a Saúde

Nem sempre, variando conforme a análise em questão. Por exemplo, o hemograma simples, o INR e Vitamina D não necessitam de jejum. Contudo, ingerindo antes uma refeição rica em gordura, estas poderão interferir no doseamento das análises.

Não, o tempo é variável em conformidade com a análise a realizar. Regra geral, 8 horas são suficientes, todavia para análises prescritas ao colesterol e triglicerídeos a recomendação é de 10-12 horas. Não deve ainda ultrapassar as 12 horas de jejum.

Não, mas é necessário ter moderação, pois o excesso interfere nos exames de urina.

Sim, pois a ingestão de café (puro, com açúcar ou adoçante) pode fazer variar os valores basais.

Alguns sim. De referir, os antibióticos, os anti-inflamatórios e a insulina, por exemplo. Quaisquer que sejam os medicamentos que está a tomar, informe sempre a técnica de colheitas antes do exame. Caso possível, informe atempadamente o médico sobre a medicação em questão.

Sim. As vitaminas podem interferir nos exames laboratoriais. Por exemplo, a vitamina E interfere nos testes de agregação plaquetária enquanto a vitamina C altera a determinação da creatinina.

Sim, interferindo, por exemplo, na colheita de urina devido à existência de diversas hormonas e proteínas séricas presentes durante o ciclo menstrual. Assim sendo, e se de caracter urgente, a colheita pode ser realizada, adotando-se cuidados extra. É ainda importante que o médico saiba em que período do ciclo menstrual o exame laboratorial foi feito.

Sim, com especial enfoque no exame aos triglicerídeos, pois a ingestão de álcool pode elevar os valores. O mesmo pode acontecer para os valores de colesterol.

Não, pois a nicotina presente nos cigarros, interfere na curva de glicémia e nos testes de agregação plaquetária. Recomenda-se a que não fume no dia do exame.

Alguns sim, por exemplo, o doseamento do fator VII de coagulação ou o doseamento de glicemia. Os exames laboratoriais possuem condições de realização ideias, são as denominadas condições basais. Um esforço físico fora do normal irá alterar os valores destas condições o que, por sua vez, irá alterar os valores do exame.

O valor da glicemia é referente à quantidade de açúcar presente no sangue o que, por sua vez, é uma fonte de energia de rápido benefício pelo organismo. Deste modo, e por exemplo em situação de exercício físico, quando o organismo necessita de maiores quantidades de energia, há modificações relevantes quer na velocidade de produção, quer de consumo de açúcar. Aquando da realização de um doseamento de glicemia, a intenção é conhecer os níveis basais habituais, devendo a pessoa estar nessas condições e não em situação de esforço físico prévia.

Sim, principalmente no exame aos triglicerídeos. A adoção de dieta direcionada ou a ingestão de refeições altamente calóricas previamente à realização do exame laboratorial, pode induzir falsos negativos e/ou positivos.

Manter a dieta habitual nos 5 dias que antecedem o exame e fundamental fazer jejum de 12 a 16 horas para a colheita de sangue.

ontent

Manter a alimentação e hábitos do dia-a-dia para que seja possível determinar quais as condições basais do seu organismo.

O primeiro jato de urina pode conter células e secreções que podem estar presentes na uretra, principalmente se existir um processo inflamatório e/ou infecioso a decorrer. Devido a esta possibilidade de contaminação, é de desprezar o primeiro jato e colher o jato intermédio, isto é, uma urina que represente bem a existente na bexiga.

Sim, podendo camuflar ou falsear os resultados caso o exame seja realizado para a procura de bactérias que possam estar a provocar uma infeção urinária. Deve realizar o exame cultural da urina antes do início da toma do antibiótico ou aguardar pela recomendação do médico, após toma completa da medicação.

Sim, sendo que algumas análises são solicitadas com a intenção de verificar se existe alguma infeção e/ou perturbação no sistema imunitário.

Nem todos, contudo em alguns casos é obrigatório que o sejam. Por exemplo, no doseamento de ACTH (adrenocorticotrofina), de cortisol e de ferro, estes exames devem ser realizados obrigatoriamente de manhã pois é nesta parte do dia em que estas substâncias têm um pico no organismo, devido ao ritmo circadiano.

Esta recomendação é feita em conformidade com as hormonas que sofrem flutuações de valores dependente do dia do ciclo, tais como o LH, FSH, estradiol e progesterona.

Não e também não é necessário colher a primeira defecação do dia, sendo esta informação válida para qualquer tipo de exame de fezes.

A pesquisa de sangue oculto nas fezes é realizada para auxiliar o diagnóstico de doenças do intestino, em que ocorra sangramento. Visto que o álcool é um irritante gástrico, o que por sua vez pode causar sangramento no estômago por irritação, a ingestão de grandes quantidades de álcool é desaconselhada para quem vai realizar este exame.

Regra geral não, pois a colheita dura apenas alguns segundos. Todavia, é sempre variável conforme a sensibilidade de cada utente, bem como da agilidade do técnico que a realiza.

A cor arroxeada está associada à formação de um hematoma: saída de sangue para o exterior da veia. Pode ocorrer por inúmeros fatores: pouca compressão no local da punção; caso o utente tome algum medicamento que altere a coagulação do sangue; em caso de veias finas, delicadas ou com pressão interna elevada. Regra geral, não é grave e o hematoma desaparece ao final de uns dias.